24/04/2020

O governador Carlos Massa Ratinho Junior confirmou nesta quinta-feira (23) a ampliação em 214 novos leitos de UTI e de enfermaria para o Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina (HU-UEL), que é referência para 96 municípios e cerca de 3,4 milhões de pessoas da região Norte do Estado. O investimento é de R$ 3 milhões em equipamentos e mais o montante de R$ 21 milhões para custeio para os próximos seis meses.

Serão 56 novos leitos de UTI para adultos, 16 leitos de UTI pediátrica e 142 de enfermaria. Alguns já estão sendo utilizados no prédio principal do HU-UEL, e os novos serão colocados no pronto-socorro do hospital e no prédio da maternidade, que terá capacidade para até 44 leitos de UTI e 66 enfermarias.

O governador afirmou que o uso da maternidade e a ampliação da estrutura de atendimento do HU-UEL estão dentro da estratégia de regionalização do atendimento à saúde. “Na nossa visão, esse não é um hospital de campanha. A estrutura vai ficar para a comunidade, para a população. Os equipamentos são temporários para o enfrentamento da pandemia, mas é um ativo para a comunidade”, afirmou Ratinho Junior. “Repassamos R$ 21 milhões em custeio para esses novos leitos e, de acordo com o planejamento, o Governo do Estado vai equilibrar mais os investimentos e os recursos necessários para manutenção da rede de saúde pública”.

Pelas projeções da direção do HU de Londrina, a expansão fará com que a estrutura ultrapasse 400 leitos de UTI e de enfermaria. Novos profissionais serão contratados em caráter temporário durante o estado de emergência em saúde pública. A estrutura contratada atenderá exclusivamente os casos de Covid-19 nesse momento, mas será disponibilizada de maneira definitiva para o HU-UEL.

REFERÊNCIA – O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, enfatizou que o HU-UEL é um centro formador de médicos, enfermeiros e profissionais da saúde e merecia novo apoio na sua estrutura. “Vamos colocar a nova maternidade para funcionar no enfrentamento ao coronavírus e essa estrutura ficará perenemente à disposição do hospital. São 36 leitos adultos novos de UTI e 16 pediátricos de UTI já em funcionamento. É um reforço e tanto para a cidade como para a macrorregião Norte de Saúde”, acrescentou.

O secretário também afirmou que a laboratório do HU-UEL está em processo de validação para começar a realizar testes RT-PCR para detecção do novo coronavírus e que a Secretaria de Saúde vai ajudar com disponibilização de reagentes para auxiliar com os dados para pacientes internados em Londrina (principalmente no hospital universitário). A capacidade de processamento do laboratório é de pelo menos 200 testes por dia.

Beto Preto ainda disse que o Paraná espera cerca de 600 respiradores do Ministério da Saúde e que vai receber nos próximos dias 170 monitores para distribuir aos municípios. Além disso, ele citou que o Estado começa nos próximos dias a aplicar os 54 mil testes rápidos em profissionais de saúde, da segurança e familiares, e que terá um novo lote de 60 mil testes à disposição.

ATENDIMENTO – O superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior do Governo do Estado, Aldo Bona, disse que os investimentos em Londrina vão se alinhar com pesquisa aplicada contra o novo coronavírus e síndromes respiratórias graves. “De maneira preventiva o Governo do Estado agiu para que essa estrutura estivesse dentro de um hospital universitário porque ele cumpre função de hospital-ensino e de atendimento para a população. Isso gera desenvolvimento das pesquisas, do que está sendo estudado. Temos nessa ampliação de capacidade de atuação a expectativa de que o aspecto da ciência possa avançar com mais velocidade”, complementou.

Também nesta quinta-feira o governador confirmou mais de R$ 28 milhões para reforçar a capacidade do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais para atender pacientes com a Covid-19.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na solenidade de anúncio o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o superintendente de Esportes, Hélio Wirbinski; os deputados estaduais Cobra Repórter, Tiago Amaral, Tercílio Turini e Evandro Araújo; o deputado federal Filipe Barros; o reitor da UEL, Sérgio Carvalho; lideranças regionais e vereadores.

Box 1

Nova maternidade do HU-UEL receberá leitos de UTI e enfermarias

Uma das novas estruturas do HU-UEL é o prédio de cinco mil metros quadrados da nova maternidade do hospital, que já está praticamente concluído. O governador Ratinho Junior vistoriou os quatro andares com leitos, camas e equipamentos nesta quinta-feira (23). A obra contou com investimentos de cerca de R$ 14 milhões do Governo do Estado.

“O prédio será usado no segundo momento do plano de contingência contra a Covid-19. Neste projeto otimizamos os espaços e colocamos  a disposição 44 leitos de UTI e 66 enfermarias de retaguarda para casos moderados”, afirmou Vivian Feijó, diretora-geral do hospital universitário. “Estimo que em 30 a 40 dias a parte estrutural já esteja pronta, com rede de gases, revisão de oxigênio, ar condicionado e projeto de incêndio”.

O prédio da nova maternidade ficou pronto há dois meses, faltando apenas retoques finais. Cerca de 30% dos equipamentos necessários para receber pacientes da Covid-19 já foram instalados. Os demais itens ainda esperam detalhes burocráticos de licitação e serão entregues nos próximos dias.

“Essa estrutura vem se somar à qualidade da assistência, humanização, maior condição de atendimento. E deixa um legado para Londrina e para o Estado. No meio da pandemia e dos desafios, encontramos uma oportunidade de engajar esforços a favor do cuidado com a vida. É um dinheiro que fica, não vai embora”, complementou Vivian.

Ela também explicou que, desde janeiro, equipes técnicas do hospital preparam a ampliação do atendimento para pacientes acometidos pelo novo coronavírus. Um dos desafios ainda é saber pouco sobre a doença, mas experiências internacionais ajudaram nesse novo fluxo interno.

“Nos organizamos, pesquisamos e trouxemos ciência e tecnologia ao processo de trabalho do HU. Melhoramos espaços, fluxos e criamos estratégias de treinamento com simulação realística para 500 funcionários. Montamos um time de entubação rápida porque é sabido que doentes mais graves evoluem rapidamente para síndrome respiratória grave. Quanto mais rápida a entubação, menor a exposição da equipe”, disse. “Também fizemos o teste do Paciente 360 em parceira com empresa privada para simulação de atendimento, paramentação dos profissionais e desparamentação para evitar a proliferação nas equipes”.

A outra medida, complementou, foi a instalação de uma telemedicina voltada para a segunda opinião, especialmente direcionada para os municípios de pequeno porte e para qualificar a triagem dos pacientes.

Box 2

Mais de 500 novos leitos de UTI já estão à disposição da população

A Secretaria de Saúde já contratou 536 novos leitos de UTI para adultos, 37 UTIs pediátricas, 1.075 enfermarias e 67 enfermarias pediátricas de maneira imediata. Essas ativações significam estruturas completamente novas ou uso, por parte do Estado, de leitos já existentes em hospitais públicos, privados e filantrópicos. Os números aumentam todos os dias em decorrência do planejamento e do aumento de casos e de internações.

Pela programação desta quinta-feira (23), esse número pode ser ampliado para 591 novas UTI para adultos, 41 UTIs pediátricas, 1.434 enfermarias e 25 enfermarias pediátricas. Nesse quadro, serão 1.127 novos leitos de UTI e 2.509 enfermarias apenas para adultos.

A essa conta se somarão 50 novos leitos de UTI e 160 leitos de enfermaria nos três hospitais regionais que estão recebendo os últimos retoques para abrirem em Guarapuava, Telêmaco Borba e Ivaiporã. Eles seriam entregues apenas no final do ano, mas terão alas totalmente prontas nos próximos 40 dias.

Fonte e Fotos: Agência Estadual de Notícias