Governador destaca importância do polo moveleiro de Arapongas

  • 6 de setembro de 2019

O governador Carlos Massa Ratinho Junior participou nesta quinta-feira (5) do 10º Congresso Nacional Moveleiro, em Arapongas (Norte), e destacou a importância do setor para a economia do Paraná. São 34,5 mil postos de trabalho e cerca de 3 mil empresas – 9,4% das indústrias de transformação do Estado. “O Paraná tem uma vocação muito grande para produção de móveis e o polo de Arapongas é a locomotiva, gerando muitos empregos”, afirmou Ratinho Junior.

Ele também  ressaltou investimentos em infraestrutura para melhorar as condições de produção e escoamento do produto e, por consequência, beneficiar também o turismo de negócios. Entre as ações, citou  a construção do contorno rodoviário de Arapongas, que vai tirar o trânsito pesado da BR-369 do perímetro urbano da cidade. A concessionária Viapar é responsável pelo trecho.

“Esse contorno é muito importante e a ideia é que nos próximos meses tenhamos o início das obras”, afirmou o governador. “A proposta do Governo é melhorar a logística, seja por rodovias ou ferrovias, para facilitar o escoamento de todos os produtos feitos no Interior do Paraná”, completou.

Prefeito de Arapongas, Sérgio Onofre explicou que estão sendo feitas as últimas desapropriações para que a obra possa começar. “É a obra mais esperada por Arapongas, vai revolucionar a cidade. Tirando o trânsito pesado da área urbana e levando para o contorno, se beneficia também quem precisa escoar a produção, ganhando agilidade”, disse. “Acredito que a construção comece ainda neste ano”, acrescentou. O investimento previsto é de R$ 129,6 milhões e a extensão total do contorno será de 10,2 quilômetros.

VOE PARANÁ – O governador reforçou também o investimento na remodelação da malha aeroviária do Estado, com o lançamento do programa Voe Paraná. A iniciativa, disse ele, facilita a vida do empresariado, com um deslocamento mais rápido e seguro, e serve como fator de atração de indústrias para as diferentes cidades do Paraná. “Impacta também no turismo de negócios, como vemos aqui na feira, que atrai gente de diversas regiões do País, movimenta o setor moveleiro e a economia com um todo”, afirmou.

SETOR – O Paraná é o terceiro polo moveleiro do Brasil. Arapongas (9.329), Maringá (1.800), Curitiba (1.671) e Umuarama (1.254) são as cidades que mais se destacam em relação a postos de trabalho. O setor representa 32% da economia industrial de Arapongas.

Segundo o presidente do Sindicato da Indústria Moveleira de Arapongas, Irineu Munhoz, que é também coordenador do Conselho Setorial da Indústria Moveleira na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Arapongas é a cidade que mais produz móveis no Brasil e também a que mais emprega no setor, com cerca de 9,3 mil postos de trabalho diretos. Com os empregos indiretos, a indústria moveleira do município totaliza 11,5 mil pessoas. O município é responsável por cerca de 10% do faturamento nacional do setor, que totalizou R$ 68,9 bilhões no ano passado.

EXPORTAÇÃO – Ainda de acordo com o sindicato, o Paraná movimentou US$ 102 milhões (ou R$ 418 milhões pelo câmbio atual) em exportação de móveis em 2018. Somente o Polo do Norte do Estado registrou US$ 54 milhões (R$ 221 milhões) e a cidade de Arapongas US$ 47 milhões (R$ 193 milhões). O faturamento interno do Paraná no setor moveleiro em 2018 foi de R$ 9,2 bilhões, sendo que deste montante, 70% foi gerado pelas indústrias situadas na grande Arapongas.

INDÚSTRIA – De acordo com o IBGE, a indústria de transformação cresceu 7,8% de janeiro a junho de 2019 no Paraná na comparação com o primeiro semestre do ano passado, melhor resultado para um primeiro semestre dos últimos nove anos. É o segundo melhor índice do País, atrás apenas do Rio Grande do Sul (8%), e bem superior ao nacional, que apontou retração de -1,6%. As vendas para o varejo moveleiro, de janeiro a julho deste ano, diminuíram 3,19%, segundo a Fecomércio.

CONGRESSO – Consolidado como um dos eventos mais importantes do setor no País, a edição deste ano do Congresso Nacional Moveleiro discutiu a era da transformação digital: os modelos de negócios e a inovação pelo significado na indústria moveleira. A intenção foi avaliar cenários e tendências do mercado moveleiro com 6foco na geração de negócios, na customização tecnológica e na melhoria da competitividade da cadeia de valor.

Paralelamente ao evento ocorreu a segunda edição da Mostra Móveis, criado para impulsionar as vendas de fim de ano e também a Black Friday. No ano passado a exposição reuniu mais de 2,5 mil visitantes, com 70 expositores e 800 lojistas. Foram gerados negócios na casa dos US$ 3,5 milhões (R$ 14,3 milhões pelo câmbio atual).

PRESENÇAS – Visitaram também o Congresso Moveleiro vários prefeitos da região da AMEPAR, os secretários João Carlos Ortega (Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas) e Márcio Nunes (Desenvolvimento Sustentável e Turismo); o presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento, Eduardo Bekin; o prefeito de Apucarana, Sebastião  Martins Junior (Junior da Femac) e os deputados estaduais Cobra Repórter e Tiago Amaral.

Fonte: Agência Estadual de Notícias